Arquidiocese do Rio de Janeiro

26º 23º

Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro, 18/10/2018

18 de Outubro de 2018

Exercício da cidadania

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do e-mail.
E-mail enviado com sucesso.

18 de Outubro de 2018

Exercício da cidadania

Se você encontrou erro neste texto ou nesta página, por favor preencha os campos abaixo. O link da página será enviado automaticamente a ArqRio.

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do erro.
Erro relatado com sucesso, obrigado.

30/09/2018 00:00

Exercício da cidadania 0

30/09/2018 00:00

No próximo domingo estaremos exercendo a nossa cidadania ao digitar os números dos candidatos que julgamos aptos para desempenharem as funções a que se candidataram, e dando a eles o aval da nossa confiança de que representarão os nossos anseios e nossas ideias ao elaborarem ou executarem as leis.

Estaremos iniciando também o Mês Missionário, quando a Igreja nos convida a abrirmos os nossos corações para a dimensão universal da evangelização e a importância de sermos missionários.

Os exemplos dos santos irão nos acompanhar nessa reflexão: Santa Teresinha do Menino Jesus e da Sagrada Face, Santa Teresa D’Ávila, São Francisco de Assis, para lembrar alguns, e a presença mariana com as festas de Nossa Senhora do Rosário, Aparecida e Nazaré.

Diante do cenário nacional e mundial que nos causam preocupações pelo presente e futuro, as dificuldades de diálogo entre os povos, a violência e guerras, e o encaminhamento do Ocidente para uma linha descomprometida com valores da vida humana, a nossa responsabilidade aumenta ainda mais.

Assim como somos responsáveis pelos que colocaremos com nossos votos nos poderes Executivo e Legislativo, também o somos pelo exemplo que estamos dando hoje, tanto a esta geração como aos que irão nos suceder nesta caminhada. Que tipo de sociedade estamos construindo com as nossas opções de vida.

Muitas coisas podem parecer atitudes isoladas e que não têm outras consequências, mas não é assim: todas as nossas atitudes têm consequências em nossas vidas e em nossa sociedade. O país que nós temos hoje foi a opção da maioria que assim o quis; a mesma coisa pode-se dizer do mundo em que vivemos.

Portanto, neste momento eu acredito que a atitude cristã diante da vida e da sociedade é o nosso caminho mais certeiro. Ouvir a voz do Senhor que nos fala em Sua Palavra que nos vem pela Sagrada Tradição e Sagrada Escritura, compreender os sinais dos tempos, dar passos para que possamos, como família humana, olharmo-nos uns nos outros e descobrirmos que, mesmo divergindo em muitos pontos, podemos viver como irmãos e irmãs. Neste tempo de tanto intolerância, o ensinamento de Jesus continua sendo de especial importância para a construção da civilização do amor.

As celebrações que iremos participar e as reflexões dos vários acontecimentos de outubro podem nos ajudar à tomada de atitude em nossa vida pessoal, familiar, comunitária e social. Um melhor relacionamento com a família, maior fraternidade uns com os outros e a responsabilidade social nos levarão, num clima de fé e sinceridade, a construirmos, com a graça de Deus, tempos novos.

Essa é uma responsabilidade de nossa geração que ninguém pode nos tirar e que devemos exercer com confiança.

Leia os comentários

Deixe seu comentário

Resposta ao comentário de:

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do comentário.
Comentário enviado para aprovação.

Exercício da cidadania

30/09/2018 00:00

No próximo domingo estaremos exercendo a nossa cidadania ao digitar os números dos candidatos que julgamos aptos para desempenharem as funções a que se candidataram, e dando a eles o aval da nossa confiança de que representarão os nossos anseios e nossas ideias ao elaborarem ou executarem as leis.

Estaremos iniciando também o Mês Missionário, quando a Igreja nos convida a abrirmos os nossos corações para a dimensão universal da evangelização e a importância de sermos missionários.

Os exemplos dos santos irão nos acompanhar nessa reflexão: Santa Teresinha do Menino Jesus e da Sagrada Face, Santa Teresa D’Ávila, São Francisco de Assis, para lembrar alguns, e a presença mariana com as festas de Nossa Senhora do Rosário, Aparecida e Nazaré.

Diante do cenário nacional e mundial que nos causam preocupações pelo presente e futuro, as dificuldades de diálogo entre os povos, a violência e guerras, e o encaminhamento do Ocidente para uma linha descomprometida com valores da vida humana, a nossa responsabilidade aumenta ainda mais.

Assim como somos responsáveis pelos que colocaremos com nossos votos nos poderes Executivo e Legislativo, também o somos pelo exemplo que estamos dando hoje, tanto a esta geração como aos que irão nos suceder nesta caminhada. Que tipo de sociedade estamos construindo com as nossas opções de vida.

Muitas coisas podem parecer atitudes isoladas e que não têm outras consequências, mas não é assim: todas as nossas atitudes têm consequências em nossas vidas e em nossa sociedade. O país que nós temos hoje foi a opção da maioria que assim o quis; a mesma coisa pode-se dizer do mundo em que vivemos.

Portanto, neste momento eu acredito que a atitude cristã diante da vida e da sociedade é o nosso caminho mais certeiro. Ouvir a voz do Senhor que nos fala em Sua Palavra que nos vem pela Sagrada Tradição e Sagrada Escritura, compreender os sinais dos tempos, dar passos para que possamos, como família humana, olharmo-nos uns nos outros e descobrirmos que, mesmo divergindo em muitos pontos, podemos viver como irmãos e irmãs. Neste tempo de tanto intolerância, o ensinamento de Jesus continua sendo de especial importância para a construção da civilização do amor.

As celebrações que iremos participar e as reflexões dos vários acontecimentos de outubro podem nos ajudar à tomada de atitude em nossa vida pessoal, familiar, comunitária e social. Um melhor relacionamento com a família, maior fraternidade uns com os outros e a responsabilidade social nos levarão, num clima de fé e sinceridade, a construirmos, com a graça de Deus, tempos novos.

Essa é uma responsabilidade de nossa geração que ninguém pode nos tirar e que devemos exercer com confiança.

Cardeal Orani João Tempesta
Autor

Cardeal Orani João Tempesta

Arcebispo da Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro