Arquidiocese do Rio de Janeiro

28º 20º

Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro, 12/12/2017

12 de Dezembro de 2017

Seminário marca Dia Internacional da Pessoa com Deficiência

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do e-mail.
E-mail enviado com sucesso.

12 de Dezembro de 2017

Seminário marca Dia Internacional da Pessoa com Deficiência

Se você encontrou erro neste texto ou nesta página, por favor preencha os campos abaixo. O link da página será enviado automaticamente a ArqRio.

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do erro.
Erro relatado com sucesso, obrigado.

06/12/2017 17:56 - Atualizado em 06/12/2017 17:57
Por: Louis Bárbaras

Seminário marca Dia Internacional da Pessoa com Deficiência 0

O 7º Seminário Arquidiocesano da Pastoral da Pessoa com Deficiência aconteceu no dia 1º de dezembro, no Edifício João Paulo II, na Glória, com o tema: “A pessoa com deficiência convivendo e superando limites com alegria”.

Realizado por ocasião do Dia Internacional da Pessoa com Deficiência, o seminário procurou celebrar a caminhada da Igreja junto às pessoas com deficiência.

“Fizemos uma participação mais efetiva das pessoas com deficiência, cegos e surdos. Tivemos uma parte musical, uma parte mais artística e uma reflexão sobre o tempo do Advento, na qual a Igreja já começa a viver a partir de dezembro”, destacou o coordenador arquidiocesano da Pastoral da Pessoa com Deficiência, César Bacchin.

O evento aconteceu das 15h às 19h. Após a acolhida, o seminário foi aberto com a palavra da cadeirante Carla Cristina da Silva Alves, do movimento ecumênico “Fraternidade Cristã de Pessoas com Deficiência”.

“Acreditamos que a pessoa com deficiência é a pessoa feliz consigo mesma, a pessoa que sabe conviver bem com as outras pessoas, que partilha sua alegria, sua dor, sua existência humana, como todos nós participamos quando a gente encontra-se com o outro” afirmou César Bacchin.

A primeira palestra, que abordou o tempo do Advento, foi feita pelo professor Miguel Baclut, do Colégio Santo Agostinho.

“Foi uma conversa sobre o tempo litúrgico e a sua preparação, como pode ser revivido isso liturgicamente e na própria vida. Uma partilha dessa vivência cristã do Natal que se aproxima”, explicou o professor.

Ocorreram também dois debates, e entre eles uma conversa com o jornalista André Davi, que perdeu os dois antebraços, a partir do tema “Saber é preciso, viver não é preciso. A vida e suas surpresas.”

“Quando acreditamos em nós, o próximo passa a acreditar também. Então a gente quer passar uma mensagem positiva, de esperança, de positividade. A deficiência não é problema para você conquistar seus objetivos, a sua cabeça sim. Se você tiver o pensamento positivo e acreditar que você vai chegar a qualquer lugar, você vai chegar”, ressaltou André.

Houve recitação de poesia, testemunhos, apresentação do Coral das Moças Cegas do Sodalício da Sacra Família, da Tijuca, e celebração do Advento.

“Foi um encontro, uma tarde na qual a pessoa com deficiência pôde partilhar um pouco sua vida, pôde conviver com outras deficiências. Nossa arquidiocese está de parabéns por propiciar esse momento e, ao mesmo tempo, abrir espaço para os cegos, para os surdos, para os cadeirantes e para as pessoas com deficiência intelectual”, concluiu César Bacchin.

 

Leia os comentários

Deixe seu comentário

Resposta ao comentário de:

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do comentário.
Comentário enviado para aprovação.