Arquidiocese do Rio de Janeiro

25º 21º

Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro, 21/08/2018

21 de Agosto de 2018

Dia Mundial do Meio Ambiente: a missão de cuidar da casa comum

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do e-mail.
E-mail enviado com sucesso.

21 de Agosto de 2018

Dia Mundial do Meio Ambiente: a missão de cuidar da casa comum

Se você encontrou erro neste texto ou nesta página, por favor preencha os campos abaixo. O link da página será enviado automaticamente a ArqRio.

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do erro.
Erro relatado com sucesso, obrigado.

08/06/2018 14:28 - Atualizado em 08/06/2018 14:28
Por: Carlos Moioli / Priscila Xavier

Dia Mundial do Meio Ambiente: a missão de cuidar da casa comum 0

“A Terra, nossa casa comum, parece estar se tornando mais e mais em um enorme depósito de lixo”. O trecho, retirado da Encíclica “Laudato Si”, publicada pelo Papa Francisco há quase dois anos, expressa a urgência do mundo para mudanças drásticas na forma de consumo e desenvolvimento.

Para comemorar o Dia Mundial do Meio Ambiente, no dia 5 de junho, a Arquidiocese do Rio de Janeiro, por meio da Pastoral do Meio Ambiente, celebrou uma missa, presidida pelo Cardeal Orani João Tempesta, no Convento Santo Antônio, no Largo da Carioca, centro da cidade.

A celebração contou com a presença do guardião do Convento Santo Antônio, frei José Pereira; do vigário episcopal adjunto para a Caridade Social, padre Marcos Vinício Miranda Vieira; do vigário episcopal do Vicariato Urbano, padre Wagner Toledo e do coordenador arquidiocesano da Pastoral da População de Rua, monsenhor Gustavo Auler. Do Governo do Estado estiveram presentes o subsecretário de Meio Ambiente, Justino Carvalho, e o engenheiro da Companhia Estadual de Águas e Esgotos Flávio Guedes.

A celebração foi contemplada com a presença do Coral da População de Rua, que apresentou duas músicas: “Oração de São Francisco” e “Romaria”.

Conversão ecológica

Na homilia, Dom Orani recordou a figura de Santo Antônio – que o convento franciscano do Rio está celebrando sua 336ª festa –, o grande pregador que seguiu o carisma de São Francisco de Assis. Ambos cantaram as maravilhas da natureza, da criação de Deus, que tudo fez pelo homem, e que inspirou o Papa Francisco a escrever a Encíclica “Laudato Si”, que aborda a responsabilidade de todos pela casa comum.

“Nós lutamos pelo meio ambiente, pela questão ecológica, por causa de Jesus Cristo, porque amamos e respeitamos o nosso próximo. Somos herdeiros daquilo que outros fizeram. Por isso, precisamos nos preocupar com as novas gerações. Elas também têm os mesmos direitos de viver bem, de usufruir a casa comum que o Senhor fez para todos”. 

Dom Orani lembrou que os cariocas moram num lugar privilegiado da casa comum, por causa da proximidade do mar e da Mata Atlântica, a maior floresta urbana do mundo, replantada na época do Império. Ao mesmo tempo, há muitos problemas que agridem o meio ambiente, com a baía e lagoas poluídas e esgotos a céu aberto que correm em pequenos rios pela cidade.

“Apesar de suas belezas e riquezas naturais, a cidade do Rio vem acumulando, ao longo de muitos anos, uma série de problemas ambientais e sociais que precisam ser enfrentados com o empenho de cada um de nós, pois a responsabilidade pelo cuidado com o meio ambiente é de toda a sociedade”, prosseguiu Dom Orani.

Na arquidiocese, lembrou o arcebispo, “temos diversos serviços e ações que mostram o cuidado com a casa comum, que vão desde a coleta seletiva de lixo até a reciclagem de óleo de cozinha. A Pastoral do Meio Ambiente é um desses sinais da presença da Igreja na sociedade, através dos leigos e leigas que nela atuam; e deve, portanto, estar sempre aberta ao diálogo e à participação de todos que desejam preservar o meio ambiente para as futuras gerações”.

Dom Orani também ressaltou a importância de cada cidadão fazer a sua parte para a conversão ecológica. “O Rio é uma grande cidade, mas que precisa ser mais cuidada. Já fizermos muitas campanhas em nossa arquidiocese. Temos um terço do território da cidade em conservação verde, mas passamos por regiões que não possuem uma árvore sequer. Precisamos ter a consciência de que cada um precisa fazer sua parte”, disse.

Responsabilidade de todos

Padre Marcos Vinício, destacou que a finalidade da celebração é sensibilizar os fiéis quanto ao cuidado do meio ambiente. “O objetivo é sensibilizar a cada um de nós, principalmente os cristãos católicos, sobre a responsabilidade para com a casa comum. Deus criou tudo e viu que tudo era bom, e o nosso compromisso é zelar pela criação”, disse.

De acordo com o vigário, a resposta ao apelo do Papa Francisco tem sido dada através dos trabalhos a nível diocesano, mas, também, através de parcerias com o setor público. “Assumimos esse compromisso proposto pela “Laudato Si” através de muitos trabalhos diocesanos promovidos pela Pastoral do Meio Ambiente, mas também em conjunto com o setor público. Durante a celebração, inauguramos duas campanhas que se estenderão até o mês de setembro: a primeira é o plantio de árvores nos vicariatos, que contará com a orientação da Secretaria Municipal do Meio Ambiente, órgão da Prefeitura do Rio, e a distribuição de mudas para plantio”, assegurou.

Mudança de hábitos

O subsecretário Justino Carvalho alertou os fiéis sobre a necessidade de mudanças de hábitos em prol da natureza. “É um dia de reflexão e de consciência. Entre o mar e a montanha, temos diversos atributos da Mata Atlântica. O nosso município tem 30% da sua territorialidade protegido por unidades de conservação. É uma luta constante, com um grupo pequeno de funcionários na prefeitura, com apenas 169 agentes. Mas, se não mudarmos os hábitos, a forma de agir de sete milhões de habitantes, esse presente que Deus nos deu ficará cada dia menos radiante. Tenho certeza de que, com a inspiração divina, de homens e santos, como São Francisco de Assis e Santa Rita, cumpriremos a nossa missão de cuidar do meio ambiente”, completou.

Semana de Sustentabilidade

Ainda dentro das celebrações pelo Dia Mundial do Meio Ambiente, em parceria com a PUC-Rio, foi realizada a Semana de Sustentabilidade, que contou com debates, exposição de trabalhos e feiras de artesanatos e reciclados, e aconteceu entre os dias 5 e 7 de junho. No último dia, a missa de encerramento foi presidida pelo bispo auxiliar do Rio de Janeiro Dom Joel Portella Amado.

Leia os comentários

Deixe seu comentário

Resposta ao comentário de:

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do comentário.
Comentário enviado para aprovação.