Arquidiocese do Rio de Janeiro

37º 25º

Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro, 13/12/2018

13 de Dezembro de 2018

Arquidiocese e ICMBio assinam termo sobre acesso ao Cristo Redentor

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do e-mail.
E-mail enviado com sucesso.

13 de Dezembro de 2018

Arquidiocese e ICMBio assinam termo sobre acesso ao Cristo Redentor

Se você encontrou erro neste texto ou nesta página, por favor preencha os campos abaixo. O link da página será enviado automaticamente a ArqRio.

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do erro.
Erro relatado com sucesso, obrigado.

14/09/2018 19:21 - Atualizado em 14/09/2018 23:11
Por: Sistema de Comunicação da Arquidiocese do Rio de Janeiro

Arquidiocese e ICMBio assinam termo sobre acesso ao Cristo Redentor 0

Nesta sexta-feira, 14 de setembro, na presença do Ministro do Meio Ambiente, Edson Duarte, a Arquidiocese do Rio e o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) assinaram um Termo de Compromisso visando o bom relacionamento e o acesso ao alto do Corcovado. O ministro também se reuniu com o arcebispo do Rio, Cardeal Orani João Tempesta, no início da tarde, na sede da arquidiocese, na Glória.

“Como Igreja, acolhemos a todos, indistintamente em nosso santuário. É importante o ir e vir para que as pessoas possam rezar em seu santuário quando tiverem as celebrações. Eu creio que o ministro e a atual presidência da ICMBio deram grandes passos e solucionaram um problema que há décadas já vinha se arrastando. Esperamos, agora, chegar a um bom termo”, afirmou o Cardeal Orani.

O ICMBio e as Concessionárias Trem do Corcovado e Cataratas, responsáveis pela bilheteria de visitação ao monumento, também entraram em acordo sobre a divulgação da campanha Amigos do Cristo, voltada para a doação espontânea de recursos para a manutenção do Cristo Redentor, em suas plataformas.

O vigário episcopal para Comunicação Social e Cultura, cônego Marcos William Bernardo, e o presidente do ICMBio, Paulo Carneiro, assinaram, ainda, um documento que visa o bom relacionamento e uma maior liberdade de acesso, por parte da Igreja Católica, ao alto do Corcovado.

A expectativa é a de que as novas medidas estabelecidas para o acesso ao Cristo Redentor possam ajudar a reduzir as dificuldades de relacionamento entre o Parque Nacional da Tijuca (PNT) e a arquidiocese, facilitando a realização de cerimônias religiosas no platô do Cristo. Espera-se também que a divulgação da campanha Amigos do Cristo seja feita nas plataformas das concessionárias que vendem os ingressos para as visitas ao Cristo Redentor. Com as doações, serão minimizadas as dificuldades financeiras da Igreja, no que diz respeito à manutenção do monumento.

“Estamos dando um salto de qualidade na gestão do parque e do santuário. Com esse acordo, vamos criar condições suficientes para garantir a manutenção do Cristo, que é um patrimônio de todo o Brasil”, disse o ministro.

Doação espontânea

Embora o valor referente à bilheteria de acesso ao Cristo Redentor continue a ser destinado integralmente ao órgão federal, a partir desse novo acordo entre o ICMBio e as Concessionárias Trem do Corcovado e Cataratas, cada visitante, ao adquirir seu ingresso para a visitação ao Cristo Redentor, poderá, espontaneamente, optar por fazer uma simbólica doação para a Campanha Amigos do Cristo.

“Podermos contar com essa possibilidade de dar visibilidade à campanha de manutenção do Cristo Redentor nas plataformas das concessionárias é muito importante para a Arquidiocese do Rio, especialmente neste momento de dificuldades. Turistas do mundo todo vão tomar consciência da importância de ajudar a cuidar desse importante símbolo do nosso Brasil. Com um gesto muito simples, na hora da compra do ingresso, cada um poderá destinar uma pequena doação, e, assim, abraçar o Cristo Redentor”, explicou o Vigário Episcopal para Comunicação Social e Cultura, cônego Marcos William Bernardo.

O Cristo Redentor, erigido com o dinheiro do povo, permanece sob a administração da Igreja Católica por quase 87 anos de existência. A Igreja sempre cuidou de suas necessidades, contando apenas com recursos próprios e outros advindos das doações recebidas e parcerias firmadas com algumas empresas.

Leia os comentários

Deixe seu comentário

Resposta ao comentário de:

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do comentário.
Comentário enviado para aprovação.