Arquidiocese do Rio de Janeiro

26º 22º

Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro, 12/11/2019

12 de Novembro de 2019

Papa sobre bullying: jovens, encontrem a própria identidade sem diminuir o outro!

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do e-mail.
E-mail enviado com sucesso.

12 de Novembro de 2019

Papa sobre bullying: jovens, encontrem a própria identidade sem diminuir o outro!

Se você encontrou erro neste texto ou nesta página, por favor preencha os campos abaixo. O link da página será enviado automaticamente a ArqRio.

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do erro.
Erro relatado com sucesso, obrigado.

21/06/2019 00:00 - Atualizado em 23/06/2019 20:00
Por: Andressa Collet - Vatican News

Papa sobre bullying: jovens, encontrem a própria identidade sem diminuir o outro! 0




O Papa Francisco enviou uma mensagem em vídeo aos participantes de um evento internacional sobre como prevenir e combater o bullying e o cyberbullying que acontece nesta sexta-feira, 21 de junho, na sede da Fundação Scholas Occurrentes, em Roma.

Mais de cem relatores, entre jovens de 20 países, representantes de organizações sociais e especialistas do mundo acadêmico estão reunidos para a conferência online #StopCyberbullyingDay | 24h Scholas Talks. Durante a maratona virtual, que pode ser seguida em tempo real pelo site da Fundação (www.scholasoccurrentes.org), também será apresentado o primeiro relatório global sobre o cyberbullying feito pela Scholas, depois da sondagem a mais de 5 mil jovens.

A busca pela própria identidade

Na mensagem do Papa, o agradecimento inicial sobre o trabalho e o esforço da Fundação em realizar atividades desse porte sobre a questão do bullyismo que, segundo Francisco, nasce da falta de identidade dos jovens:

“Um problema que me preocupa muito é aquele que cada um de vocês encontre a sua própria identidade, e isso sem precisar diminuir ou obscurecer a identidade dos outros. Encontrar a própria identidade é um caminho, é um caminho de diálogo, é um caminho de reflexão, é um caminho de interioridade.”

Quem não percorre essa estrada, afirma o Papa na mensagem, acaba por “agredir ou diminuir a identidade dos outros” para “se sentir superior”, e aí é que nasce o bullying, “um fenômeno de auto-compensação e de auto-valorização”.

“É um aprender a olhar de cima a baixo e mal. Não se esqueçam que somente é lícito a uma pessoa olhar de cima a baixo, sabem quando? Quando está ajudando a se levantar. Outra maneira de olhar de cima a baixo não é lícita.”

E quando essa atitude acontece em meio a grupos de jovens, no colégio e no bairro, por exemplo, acontecem diferentes formas de agressão e de bullying, garante o Pontífice: nesse momento “se vê a pobreza da própria identidade de quem agride, que necessita agredir para se sentir pessoa”. E o Papa alerta:

“Na farmácia não vendem remédios contra o bullying, os laboratórios ainda não conseguiram a fórmula; enquanto isso, o que fazer? A única maneira é o compartilhar, o conviver, o dialogar, o escutar o outro, ter tempo de caminhar juntos, ter tempo porque é o tempo aquele que cria a relação.”

“Não tenham medo do diálogo!”

O Papa Francisco continua orientando os jovens e, para tanto, segue com os conselhos:

“Não tenham medo de dialogar: cada um de nós tem algo para dar ao outro. Cada um de nós tem algo bom para dar ao outro, cada um de nós precisa receber algo bom do outro. O diálogo, o diálogo que nos torna iguais, não em identidade – temos identidades diferentes – mas nos torna iguais ao longo do caminho. Somos caminhantes, todos iguais, todos caminhamos, mas todos diferentes, então, todos em harmonia.”

Ao finalizar a mensagem em vídeo dirigida à maratona online de 24 horas para prevenir e sensibilizar sobre o tema do bullying, o Papa Francisco exorta:

“Declarem a guerra ao bullying, porque ele diminui a dignidade; e joguem pelo diálogo, joguem pelo caminhar juntos, joguem pela paciência de escutar o outro. Então será uma paz forte, e essa mesma paz forte fará com que descubram a própria identidade. Que Deus os abençoe e, vamos adiante, não tenham medo do diálogo, vale a pena!”

 

Leia os comentários

Deixe seu comentário

Resposta ao comentário de:

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do comentário.
Comentário enviado para aprovação.