Arquidiocese do Rio de Janeiro

27º 18º

Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro, 21/07/2019

21 de Julho de 2019

Apostolado da Oração: 175 anos de devoção ao Coração de Jesus

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do e-mail.
E-mail enviado com sucesso.

21 de Julho de 2019

Apostolado da Oração: 175 anos de devoção ao Coração de Jesus

Se você encontrou erro neste texto ou nesta página, por favor preencha os campos abaixo. O link da página será enviado automaticamente a ArqRio.

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do erro.
Erro relatado com sucesso, obrigado.

09/07/2019 14:22
Por: Carlos Moioli

Apostolado da Oração: 175 anos de devoção ao Coração de Jesus 0

Na Solenidade do Sagrado Coração de Jesus, dia 28 de junho, o Papa Francisco recebeu no Vaticano seis mil membros do Apostolado da Oração provenientes do mundo inteiro, entre os quais, de uma delegação do Brasil com representantes da Arquidiocese do Rio de Janeiro, para celebrar os 175 anos de fundação do movimento.

Em sintonia com o Santo Padre e com a mesma finalidade, no dia seguinte, 29 de junho, dedicado ao Imaculado Coração de Maria, o arcebispo do Rio, Cardeal Orani João Tempesta, também recebeu zeladores e zeladoras do Apostolado da Oração e a ramificação juvenil Movimento Eucarístico Jovem (MEJ), na Catedral de São Sebastião, no Centro.

A celebração contou com a presença de muitos sacerdotes, entre eles, o diretor arquidiocesano do Apostolado da Oração, padre Thiago Sardinha de Jesus, seus dois antecessores, os padres Vicente de Paula Martins e o jesuíta Javier Pérez Enciso e também os assistentes eclesiásticos do movimento nos vicariatos.

Durante a celebração, Dom Orani, que foi homenageado por ocasião de seu aniversário natalício, também fez, diante das imagens, junto com os concelebrantes, a consagração ao Imaculado Coração de Maria e ao Sagrado Coração de Jesus.

Carisma
Na homilia, Dom Orani recordou os vários acontecimentos realizados em âmbito eclesial, entre eles, a Solenidade do Sagrado Coração de Jesus e os 175 anos do Apostolado da Oração, motivos para render graças a Deus.
“Hoje é dia de agradecer a Deus pelos frutos do Apostolado da Oração. Por meio do oferecimento diário, os seus membros rezam nas intenções do Santo Padre e formam uma rede de oração. São ações concretas que contribuem para que a Igreja possa cumprir a sua missão. Seus membros são homens e mulheres de oração que fazem dela o seu apostolado”, disse.

Rede mundial de oração
Segundo o padre Thiago Sardinha, o Apostolado da Oração é um movimento eclesial, de âmbito mundial, que reza pelas intenções do Santo Padre e pelas necessidades da Igreja.

“O carisma do movimento é um apostolado de intercessão pela oração e pelas obras de misericórdia. A própria devoção ao Coração de Jesus se traduz no que Ele mesmo disse: ‘Eu quero misericórdia e não sacrifícios’. Os frutos do oferecimento diário nas intenções do Santo Padre levam os fiéis a ter um conhecimento maior para com as necessidades da Igreja, tanto em âmbito local, como do mundo todo. A cada mês, o Santo Padre apresenta a motivação de uma necessidade da Igreja que faz do Apostolado da Oração uma rede mundial de oração pelo Papa”, disse.
Padre Thiago Sardinha lembrou ainda que o Apostolado da Oração segue uma espiritualidade inaciana, uma meditação voltada às Sagradas Escrituras e à prática da misericórdia de Cristo para os mais necessitados, por meio das obras de misericórdia.
“A espiritualidade ao Sagrado Coração de Jesus e ao Imaculado Coração de Maria faz com que o fiel se configure na perseverança desse amor aos que mais necessitam, seja em âmbito material ou espiritual”, acrescentou.

Unidade
Segundo a coordenadora arquidiocesana, Márcia Maria Lara Guaíba de Almeida, o Apostolado da Oração procura viver seu carisma em unidade com as autoridades eclesiásticas.

“Temos procurado atender todos os chamados de Dom Orani, nosso pastor, participando de todos os eventos arquidiocesanos. Também nos empenhamos em rezar nas intenções que o Papa Francisco nos pede. Neste mês, estamos rezando, de forma especial, pelos sacerdotes. Ainda mais, temos procurado caminhar em unidade com nossos párocos, incentivando eles a conhecer melhor o movimento, e assim, se engajarem e ficarem mais próximos de nós”, disse.

Ela destacou ainda que o Apostolado da Oração tem uma missão bem ampla, como a de visitas às famílias, com o objetivo de divulgar o movimento.
“Por ocasião das comemorações dos 175 anos de fundação do Apostolado da Oração, ganhamos da coordenação nacional um quadro do Sagrado Coração de Jesus, que aproveitamos para visitar as famílias por toda a arquidiocese. Depois da bênção de Dom Orani na Festa da Unidade do ano passado, já passamos com o quadro pelos vicariatos Jacarepaguá, Santa Cruz, Oeste, agora, estamos no Suburbano, e em seguida, será no Leopoldina”, disse.

A coordenadora acrescentou que as reuniões mensais do Apostolado da Oração, em âmbito arquidiocesano, acontecem toda segunda quinta-feira do mês, às 14h, seguidas de missa, na Igreja de Sant’Ana, no Centro.

Missionaridade
O atual coordenador do Movimento Eucarístico Jovem (MEJ), padre Vicente de Paula Martins, que também já coordenou na arquidiocese o Apostolado da Oração, disse que o movimento em âmbito paroquial tem três características básicas.

“Na paróquia, o Apostolado da Oração se desdobra para a missão. Somos batizados e enviados para evangelizar e, neste aspecto, o movimento tem três características: o Evangelho, a Eucaristia e a missão. Junto com a vivência da Palavra, da devoção ao Sagrado Coração de Jesus, devemos também ser missionários. Jesus confiou a nós a missão de anunciar o Evangelho, de fazer discípulos. O importante é fazer com amor e dedicação, que são caminhos para a santidade. Muitas pessoas, em particular, os pobres e os doentes, esperam de nossa parte uma palavra de esperança”, disse padre Vicente.

Testemunhos
Cada um tem sua história com o Sagrado Coração de Jesus e uma motivação em participar do Apostolado da Oração.
Neide Mendes Correia de Paiva, da Paróquia Santa Teresinha, em Campo Grande, disse que entrou pelo incentivo do esposo.
“Fui para acompanhar meu esposo e fiquei entusiasmada e encantada com Jesus. Com suas promessas, Jesus merece toda nossa devoção, ser amado de todo o coração”, recordou.

Irece Barbosa dos Santos, da Paróquia Nossa Senhora de Nazaré, em Acari, disse que sempre quis participar do movimento, mas tinha o impedimento por não ser casada.

“Depois de 31 anos vivendo junto com meu marido, em 2008, veio a oportunidade. Depois que casei na Igreja, todas as graças vieram para mim”, contou.


 

Leia os comentários

Deixe seu comentário

Resposta ao comentário de:

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do comentário.
Comentário enviado para aprovação.