Arquidiocese do Rio de Janeiro

31º 19º

Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro, 09/12/2019

09 de Dezembro de 2019

Campanha para a Evangelização 2019

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do e-mail.
E-mail enviado com sucesso.

09 de Dezembro de 2019

Campanha para a Evangelização 2019

Se você encontrou erro neste texto ou nesta página, por favor preencha os campos abaixo. O link da página será enviado automaticamente a ArqRio.

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do erro.
Erro relatado com sucesso, obrigado.

29/11/2019 13:16
Por: Redação

Campanha para a Evangelização 2019 0

‘Eu cuido do anúncio da Palavra, dos pobres e da comunidade’

Junto ao início do tempo do Advento, começa a Campanha para a Evangelização 2019, que tem como lema: “Cuida dele”, frase presente na parábola do Bom Samaritano, narrada no Evangelho de Lucas, e cujos eixos centrais são o cuidado com o anúncio da Palavra de Deus, pobres e comunidades.
A campanha deste ano, que completa 21 anos, cuja coleta será realizada no terceiro domingo do Advento, quer levar os fiéis a refletirem como o Natal do Menino Deus inspira o compromisso cristão no cuidado, por isso a inspiração samaritana.

“O Advento é um tempo litúrgico muito propício para evangelizar com a Novena de Natal e a liturgia dos domingos que seguem até a celebração do nascimento de Jesus. Também é um tempo de preparação para a vinda do Menino Deus, para que ele possa renascer nos corações. Ele recebeu todos os cuidados de Maria e de José e, portanto, é nosso compromisso, em preparação para o Natal, também cuidar do outro”, disse o bispo auxiliar do Rio e animador do Vicariato Episcopal para a Caridade Social, Dom Paulo Celso Dias do Nascimento.

A temática da Campanha da Evangelização de 2019, recordou Dom Paulo Celso, antecipa a Campanha da Fraternidade de 2020, que tem como tema: “Fraternidade e vida: dom e compromisso”, e como lema: “Viu, sentiu compaixão e cuidou dele (Lc 10,33-34)”.

“As duas campanhas assinalam sobre o cuidar, isto é, o cuidado que deve existir com o anúncio da Palavra de Deus, os pobres e a comunidade paroquial. Cuidar do outro é atitude do Samaritano, que parou para ver, se aproximou, teve compaixão e cuidou. Cuidar deve ser atitude de todos nós seguidores de Cristo. Temos que cuidar da vida, de cada pessoa. Precisamos ter olhos para ver além das aparências, ter um coração compassivo e mãos estendidas para promover o outro”, afirmou Dom Paulo Celso.

O objetivo da Campanha para a Evangelização é motivar os fiéis a participarem efetivamente da missão da Igreja por meio do testemunho de vida, de ações pastorais específicas e da garantia de recursos para a ação pastoral.

“Os gestos concretos são sinais de conversão, de corresponsabilidade. O trabalho de evangelização que a Igreja faz como missão que recebeu do próprio Filho de Deus precisa do nosso apoio. Precisamos evangelizar com um coração solidário e generoso. O pouco que se dá com amor se transforma, porque todos colaboram”, destacou Dom Paulo Celso.

A campanha é promovida em todo o Brasil no terceiro domingo do Advento, e esse ano acontecerá nos dias 14 e 15 de dezembro. Ou seja, as contribuições são essenciais para que dioceses, especialmente as mais pobres, consigam realizar as ações pastorais de evangelização.

“Precisamos pensar na Igreja como um todo. Os frutos da coleta serão para atender as necessidades da Igreja em âmbito nacional e regional, e uma parte fica na nossa própria arquidiocese. A coleta, fruto de nossa generosidade, favorece a evangelização, a formação de muitos leigos e iniciativas de pastoral. É uma campanha que promove o crescimento da Igreja, cuja missão principal é evangelizar. Como é bom ver no dia a dia os frutos de nossa participação”, enfatizou o bispo auxiliar do Rio.

Os recursos arrecadados são distribuídos da seguinte maneira: 45% dos recursos ficam na própria arquidiocese, 20% vão para o Regional da CNBB para as iniciativas evangelizadoras, como as atividades de formação, e 35% se destinam à CNBB nacional para a manutenção da instituição e também o financiamento de ações pastorais.

Carlos Moioli






Leia os comentários

Deixe seu comentário

Resposta ao comentário de:

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do comentário.
Comentário enviado para aprovação.